Portal Destaque

Notícias

GABINETE TURRA
01/06/2022
Agricultura, Indústria, Comércio e Meio Ambiente

CAMPESTRE DA SERRA BUSCA O TÍTULO DE CAPITAL GAÚCHA DA AMORA


Documento com as informações sobre a produção da fruta no município foi entregue ao deputado estadual Sérgio Turra


Os secretários de Administração Tesio Fernandes e da Agricultura Tairo Balardin acompanhados dos produtores Mateus Oss Emer e Célio Giequelin entregaram ao deputado Sergio Turra (PP) uma série de informações que dão suporte a proposta de um projeto de lei que estabelece  Campestre da Serra como a capital gaúcha da amora. Os produtores presentes representam a comunidade de São Manoel que concentra 90% da produção de amora no município. A entrega ocorreu nesta quarta-feira,01/06, em Porto Alegre. Agora, o deputado Sergio Turra dará sequencia aos trâmites para que o projeto possa ser  votado pelos demais deputados na Assembleia Legislativa.  A ideia que a sanção dessa lei ocorra até novembro, quando será realizada a primeira festa municipal da amora.

O cultivo de amora em Campestre da Serra teve início com seis produtores. A expansão da cultura começou a partir de 1996 com a participação da empresa Italbraz.  Atualmente são cerca de 150 produtores no município e uma área cultivada de 100 hectares. No período da colheita a cultura emprega mais de mil pessoas. De acordo com a Secretaria da Agricultura, em 2021, foram colhidas 1.500 toneladas da pequena fruta em Campestre. O secretário Tairo Balardin acrescenta que a previsão até 2023 é de um acréscimo na produção passando para duas mil toneladas. A produtividade média é de 15 mil quilos/hectare.  No ano passado, a amora gerou uma receita bruta de R$ 8 milhões ao município. Campestre tem capacidade para estocar em câmaras frias em torno de 600 mil quilos. As variedades mais cultivadas são de 95% da tupy e 5% da caygangue.   Os principais compradores da amora cultivada em Campestre da Serra são os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, entre outros.

A amora é utilizada para consumo inatura, e a polpa para fazer suco, geléias, sorvetes e cosméticos. Entre os desafios para o setor, o secretário Tairo Balardin destaca a necessidade do aumento da capacidade de estocagem, inserção de tecnologias de irrigação e maior quantidade de defensivos registrados para a cultura.

Assessoria de Comunicação

OUTRAS NOTÍCIAS
30-06-2022

CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR DE CAMPESTRE TEM NOVA DIRETORIA

Foram eleitos e tomaram posse, os novos ...

VER NOTÍCIA
30-06-2022

CAMPESTRE DA SERRA SEDIA ENCONTRO DAS SECRETÁRIAS DE EDUCAÇÃO DA REGIÃO

As secretárias de educaç&a...

VER NOTÍCIA
29-06-2022

SECRETÁRIO PARTICIPA DE CONGRESSO DO CONSELHO DE SECRETARIAS DE SAÚDE DO RS

O secretário Juliano Casanova par...

VER NOTÍCIA
29-06-2022

Processo Seletivo Simplificado 004/2022 - Publicação das Inscrições – Após prazo de recurso

Acesse o link:

VER NOTÍCIA

28-06-2022

DECLARAÇÃO ANUAL DE REBANHO É MAIS COMPLETA ESTE ANO E JÁ PODE SER FEITA

O prazo para Declaração An...

VER NOTÍCIA
28-06-2022

CONFIRA NO LINK DA RECEITA ESTADUAL OS INSCRITOS EM DÍVIDA ATIVA DO ICMS/IPVA DOS MUNICÍPIOS

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul e a Secretaria da Fazenda,...

VER NOTÍCIA